Como investir #1: Primeiros passos

Como investir #1: Primeiros passos
19 de Outubro, 2019 No Comments Investimentos atiopatinhas

Como investir em Portugal? Deve ser o que mais me perguntam logo vou criar esta serie de posts a explicar tudo, desde o ZERO, para que todos percebam e acompanhem sem dificuldades!!

No post de hoje vamos falar sobre: Perfil/Tipo de investidor, no que investir e fundos de emergência

Qual é o teu perfil de investidor?

Primeiro descobre o teu tipo de investidor. Isto vai ajudar-te a perceber no que podes investir, já que cada um de nós é diferente e o que é bom para mim pode ser péssimo para ti!! Acho que estas perguntas te vão ajudar a descobrir:

  • Conservador: Gostas de manter o dinheiro que já tens? Quando te falam em perder algum dinheiro, mesmo havendo a probabilidade de ganhares algum, ficas com arrepios na espinha? Se não tem algum tipo de garantia foges?
  • Moderado: Estás disposta/o a arriscar parte do teu dinheiro mesmo que implique perderes o dito? Gostas de manter grande maioria do dinheiro em algo seguro mesmo que tenha rentabilidade baixa? Queres fazer o teu dinheiro crescer com calma e ponderação?
  • Arrojado: Vives a vida no limite e adoras arriscar mesmo que percas tudo o que investes? Tens repulsa a investir em algo que te dá juros abaixo ou igual à inflação? O importante para ti é o teu pilincresça a qualquer custo?

Quero investir mas no quê? No que se pode investir?

Pfff tanta coisa… Certificados de aforro/tesouro, obrigações de empresas, ações, fundos, imobiliário, peer to peer, … Tens muita escolha, só tens de perceber o que é melhor para ti de acordo com o teu perfil/tipo de investidor.

Vamos falar um pouco sobre todos esses investimentos e indicarei os prós e contras de cada um e em qual tipo de investidor tal investimento se enquadra mais!

Espero dar por aqui informação suficiente para que possas tomar essa decisão sozinha/o e sem qualquer custo!!

ANTES DE INVESTIR!

Cria o teu fundo de emergência

Não sabes o que é um fundo de emergência?! Então um fundo de emergência nada mais é que multiplicares os teus gastos mensais por 6. Vou dar um exemplo para ficar mega claro:

Imaginemos que gastas 600€ mensalmente, terás de juntar 600 x 6 ou seja 3600.

Há quem faça fundos maiores e outros que fazem uns mais pequenos.

Para que serve o fundo de emergência?

Serve para que caso algo dê para o torto tens como te safares! Claro que podes argumentar que por cá, leia-se em Portugal, temos uma segurança social que te “ampara a queda”, no entanto, eu sigo a máxima de: Não contes com os outros. Isto porque nem sempre tudo funciona como queremos ou demora tempo e enquanto esperas podes “ficar à rasca”.

Mais informações no próximo post!

Sobre o autor

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *